domingo, 17 de maio de 2009

O nosso oposto que não conhecíamos

Eu sempre fui um gato independente, mas ultimamente tenho me revelado um chicletinho... Minha mami sai e eu fico com tanta saudade... Me dá uma tristezinha quando eu a vejo se arrumar e pegar a chave para ir embora... Quando ela volta eu não desgrudo dela um minuto! É só ela sair do meu campo de visão que eu mio. E antes, eu não miava! Estranho conhecer este lado meu que eu não conhecia. Será que eu nunca tinha prestado atenção nesta versão que devia estar dormindo dentro de mim e agora acordou? Ou este meu lado carente só surgiu agora? Não sei... É engraçado nos vermos tendo umas atitudes que não combinam conosco. Parece que não somos nós mesmos e o nosso eu verdadeiro está olhando de camarote, cheio de vergonha para quando a cena acabar a gente tentar consertar aquilo que fez. Só que muitas vezes não dá certo, não é mesmo? Desculpas sempre encobrem o erro, mas não o apagam. C'est la vie... Aos poucos a gente aprende a conviver com o nosso oposto que às vezes nos visita e, quando a gente menos espera, ele já está adestrado e nos completando na medida certa. 

2 comentários:

Curtiu?