terça-feira, 19 de maio de 2009

A efemeridade da vida


Ontem mami passou por um sufoco nesta cidade que é tão bela quanto violenta. Pegou um ônibus para voltar para casa, o que nunca faz, mas resolveu fazer justo naquele dia. E no tal ônibus descobriu que - desculpe o trocadilho - tudo é passageiro.

Tiros a esmo. Tumulto geral. Medo. Sangue. Em pleno centro do Rio. Uma tentativa de assalto, troca de tiros entre ladrões e um PM à paisana e, de repente, percebe-se que realmente estamos nesta vida de passagem.


O bom - tudo tem um lado bom - é que não aconteceu nada com ninguém (só o PM e os bandidos ficaram feridos), e ela descobriu que, no caos, os anjos da guarda estão na ativa e até se "personificam" na figura de pessoas que aparecem para te dar a mão e te acalmar quando você mais precisa.

Em meio ao susto, o suspiro de se estar vivo e bem com quem se ama, o alívio de não ter deixado de expressar o afeto aos queridos em todas as oportunidades, e a disposição - com indignação, pois sem ela damos espaço à acomodação - para seguir a vida.

7 comentários:

  1. Nossa....mas a violência está em todos os lugares. Aqui, na cidade onde vivo, entraram num condomínio fechado, tentaram roubar uma casa, e como o alarme disarou, o ladrão disparou com a arma e acertou na cabeça de uma menina de 8 anos, que estava chorando de nervoso. O que vamos fazer? Mas o susto já passou? Espero que vc esteja bem, na medida da possível, tá???

    ResponderExcluir
  2. Mami está bem, quando chegou em casa me abraçou muito! Miau! Temos que pedir proteção divina diariamente...

    ResponderExcluir
  3. Teodoro
    Sua mamis deve ter ficado muito assustada mesmo!Dê muitos lambeijos nela!
    Beijos para os dois.
    Stela

    ResponderExcluir
  4. Oi, Teo. Puxa, que bom que nada aconteceu com a sua mami. Sabe Teo, às vezes olho para a minha amiga Pepa e fico com muita pena pelo limitado territorinho dela, restrito ao apartamento. Pudera fazê-la caminhar com a patinha sobre a terra, cheirar o mundo externo dos jardins ou um rolê pelas ruas. Mas depois, repenso. Não, ainda que dentro de 4 paredes, vocês são felizes assim, pois o que mais conta é o amor que recebem, não é mesmo? Um beijo tbem da parte da Pepa.

    ResponderExcluir
  5. Andrea, a garotinha de 8 anos teve morte cerebral... Que este anjinho descanse em paz. É realmente triste ver esta violência.

    Mamãe agradece o carinho, Stela!

    E LuMa, mami fica com pena de eu ficar trancado em casa, mas sabe, nós é que estamos seguros! Beijo a Pepa.

    ResponderExcluir
  6. Que experiência, Teo...
    Temos mesmo que aproveitar a vida, não há dúvida...

    ResponderExcluir

Curtiu?