quarta-feira, 29 de abril de 2009

Ensaio sobre a influenza


De hipocondríaco todos os humanos têm um pouco. Nem que fique escondidinho, hibernando lá no fundo, e desperte quando um alerta de pandemia quase aparece. Coitados dos mexicanos. Ou dos suínos. Ou de todos os humanos, sei lá. Com a maravilha inventada por Santos Dumont, uma gripe pode fazer suas ações despencarem, acabar com uma viagem de lua de mel em Cancún e fazer você não querer abraçar seu amigo quando ele voltar de viagem - mesmo que esteja morrendo de saudades.

O chefe da mami, por exemplo, que detesta ouvir a palavra "férias", já está pensando em dar algumas forçadas (para não ter que usar a palavra "quarentena") a uma colega de trabalho que está chegando dos EUA e do México. Mami começou a tossir, acho que está ficando gripada - influenza ordinária - e, como encontrou uma estrangeira que tinha acabado de chegar dos EUA, já lançam um olhar mais torto que rabo de porco. Para os espertalhões, o tema já virou isca para golpes na internet, com emails com vírus (virtuais, que fique claro, mas que são quase tão incômodos).

Os humanos se transformam no caos; tornam-se cegos. Ou será que se tornam mais lúcidos e enxergam melhor quem são de verdade? Cada um por si na Terra de Malboro. É a lei da sobrevivência. É o aviso da aeromoça: "coloque primeiro a máscara em você, antes de colocar na pessoa ao lado". E agora, José Saramago? O que é melhor? Ser cego como todos ou ser o único a enxergar? Só espero que não sobre para nós, bichanos. Depois das aves e dos porcos, espero que nunca apareça uma gripe felina.

Para quem está preocupado e quer saber mais informações sobre este novo tipo de influenza, segue o link do Ministério da Saúde com perguntas e respostas. 

5 comentários:

  1. Teo,

    eu gostei da máscara...espero que essa história de gripe se resolva logo...é triste ver pessoas sofrendo...e tem muita gente que fica e pânico muito fácil.
    Um beijo procê.

    ResponderExcluir
  2. Uma das primeiras coisas que eu pensei foi isso também: "tomara que nunca apareça uma gripe felina!"

    ResponderExcluir
  3. sem dúvida, é melhor não enxergar. odeio quando enxergo coisas!

    ResponderExcluir
  4. Teo, só pra dizer que você escreve muito bem e seu texto flui de uma maneira gostosa e bem-humorada! Eu não sou hipocondríaca,mas meu pai, sim. Na época da epidemia de dengue, ele passava repelente a cada meia-hora! Não acho nada improvável que ele comece a viajar usando uma máscara! Beijo e ótimo feriado!

    ResponderExcluir

Curtiu?